Relações de poder nas situações de violência doméstica contra a mulher: tendência dos estudos

Palabras clave: Violência Contra a Mulher, Violência doméstica, Saúde da Mulher, Identidade de Gênero, Enfermagem

Resumen

Introdução: Designada também como violência de gênero a violência doméstica contra a mulher representa o resultado dos desequilíbrios no exercício de poder dentro das relações conjugais, na qual os homens incorporam o papel de dominador e as mulheres o de oprimidas. Entretanto, para que haja relações de poder, deve coexistir a possibilidade de resistência, o desejo de luta, mesmo que no imaginário da mulher vítima de violência. Nesse sentido, investigou-se a tendência dos estudos científicos sobre “relações de poder presentes nas situações de violência doméstica contra a mulher”. Materiais e Métodos: Pesquisa exploratório-descritiva, qualitativa, desenvolvida através de Revisão Sistemática de Literatura. Buscaram-se textos disponíveis on-line, publicados entre 2013 e novembro de 2017 utilizando-se os termos: “violência doméstica contra a mulher” e “relações de poder”. Resultados: Foram encontrados sete artigos científicos que foram lidos na íntegra e submetidos à análise de conteúdo. Elaboraram-se três categorias analíticas: “Marcadores sociais que contribuem para a ocorrência da VDCM”, “Construção identitária de mulheres que sofrem violência doméstica”, “Consequências da violência doméstica para a saúde das mulheres e a prática profissional”. Discussão: Para a análise adotou-se como critério a frequência de abordagem dos temas apresentados nas publicações. Para cada temática elaborou-se uma categoria. Conclusões: O conhecimento produzido acerca das relações de poder presentes nas situações de violência doméstica contra a mulher é diminuto. Isso revela que o exercício do poder nas relações de conjugalidade é pouco estudado, exigindo que outros estudos sejam realizados com este foco.

Como citar este artigo: Amarijo, Cristiane Lopes; Figueira, Aline Belletti; Ramos, Aline Marcelino; Minasi, Alex Sandra Avila. Relações de poder nas situações de violência doméstica contra a mulher: tendência dos estudos. Revista Cuidarte. 2020; 11(2): e1052. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.1052

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Cristiane Lopes Amarijo, FURG

Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Rio Grande, RS, Brasil

Aline Belletti Figueira, Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Rio Grande, RS, Brasil.

Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Rio Grande, RS, Brasil.

Aline Marcelino Ramos, Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Rio Grande, RS, Brasil

Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Rio Grande, RS, Brasil

Alex Sandra Avila Minasi, Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Rio Grande, RS, Brasil

Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Rio Grande, RS, Brasil

Citas

Martins PDN, Lemos E, Ferreira A. Impacto da violência na saúde, família e trabalho no estado da Bahia, Brasil 2016. Revista ciencia, salud, educación y economia. 2017; 11.

Lucena KDT, Vianna RPT, Nascimento JA, Campos HFC, Oliveira ECT. Association between domestic violence and women's quality of life. Rev Lat Am Enfermagem. 2017; 25:e2901. https://doi.org/10.1590/1518-8345.1535.2901

Lei nº 11.340. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Brasília. 2006.

Silva EB, Padoin SMM, Vianna LAC. Violence against women and care practice in the perception of the health professionals. Texto contexto-enferm. 2015; 24(1): 229-37. https://doi.org/10.1590/0104-07072015003350013

Brasil. Data Senado. Violência doméstica e familiar contra a mulher. Secretaria de Transparência. 2015.

Foucault M. O sujeito e o poder. In: Dreyfus H, Rabinow P. Michel Foucault, uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 1995.

Gomes NP, Erdmann AL. Conjugal violence in the perspective of "Family Health Strategy" professionals: a public health problem and the need to provide care for the women. Rev. Latino-am Enferm. 2014; 22(1): 76-84. https://doi.org/10.1590/0104-1169.3062.2397

Leite MTS, Figueiredo MFS, Dias OV, Vieira MA, Souza SLP, Mendes DC. Reports of violence against women in different life cycles. Rev. Latino-am Enferm. 2014; 22(1): 85-92. https://doi.org/10.1590/0104-1169.3186.2388

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Atlas da violência. 2016.

Silva EB, Padoin SMM, Vianna LAC. Violence against women and care practice in the perception of the health professionals. Texto Contexto Enferm. 2015; 24(1): 229-37. https://doi.org/10.1590/0104-07072015003350013

Rabinow P, Dreyfus H. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 1995.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto-enferm. 2008; 17(4): 758-64. https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2016.

Santos J, Andrade RL, Reis LA, Duarte SFP. Conhecimento de enfermeiras em unidades de saúde sobre a assistência à mulher vítima da violência. Revista Baiana de Enfermagem. 2014; 28(3): 260-70. https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v3i1.298

Silveira RS, Nardi HC, Spindler G. Articulações entre gênero e raça/cor em situações de violência de gênero. Psicologia & Sociedade. 2014; 26(2), 323-34. https://doi.org/10.1590/S0102-71822014000200009

Brito CMD, Caro CC, Amaral LM. Sociocultural aspects and violence in depressed women. Ciênc. cuid. Saúde. 2015; 14(1): 861-69. https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v14i1.19542

Silva EB, Padoin SMM, Vianna LAC. Violence against women and care practice in the perception of the health professional. Texto Contexto Enferm. 2015; 24(1): 229-37. https://doi.org/10.1590/0104-07072015003350013

Vigário CB, Paulino-Pereira FC. Violência contra a mulher: análise da identidade de mulheres que sofrem violência doméstica. Revista De Psicologia. 2014; 5(2), 153-72.

Cortes LF, Padoin SMM, Vieira LB, Landerdahl MC, Arboit J. Cuidar mulheres em situação de violência: empoderamento da enfermagem em busca de equidade de gênero. Rev Gaúcha Enferm. 2015; 36: 77-84. https://doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.57162

Silva SA, Lucena KDT, Deininger LSC, Coelho HFC, Vianna RPT, Anjos UU. Analysis of domestic violence on women's health. Journal of Human Growth and Development. 2015; 25(2): 182-86. https://doi.org/10.7322/jhgd.103009

Bourdieu P. A dominação masculina. 12ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.

Leitão MNC. Women survivors of intimate partner violence: the difficult transition to Independence. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2014; 48: 07-15. https://doi.org/10.1590/S0080-623420140000600002

Instituto AVON. Percepções dos homens sobre a violência doméstica contra a mulher. 2013.

Data Senado. Aprofundando o olhar sobre o enfrentamento à violência contra as mulheres. Brasília: Senado Federal. Observatório da Mulher Contra a Violência. 2018

Lucena KDT, Lima WR, Deininger LSC, Coelho HFC, Vianna RPT, Anjos UU. Emancipation of women in their condition of oppressed and subordinated to man: an integrative review. Rev enferm UFPE on line. 2015; 9(9): 9254-63.

Dutra ML, Prates PL, Nakamura E, Villela WV. A configuração da rede social de mulheres em situação de violência doméstica. Ciênc Saúde Coletiva. 2013; 18(5): 1293-304. https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000500014

Publicado
2020-05-01
Cómo citar
1.
Amarijo CL, Figueira AB, Ramos AM, Minasi ASA. Relações de poder nas situações de violência doméstica contra a mulher: tendência dos estudos. Rev Cuid [Internet]. 1 de mayo de 2020 [citado 25 de mayo de 2020];11(2). Disponible en: https://revistacuidarte.udes.edu.co/index.php/cuidarte/article/view/1052
Sección
Artículos de Revisión