Lesões músculo-esqueléticas em jovens desportistas: estudo da prevalência e dos fatores associados

Palabras clave: Dor Músculo-esquelética, Adolescente, Atleta, Prevalência

Resumen

Introdução: As lesões músculo-esqueléticas são frequentes e exercem forte impacto na saúde dos jovens desportistas. Objetivo: Identificar a prevalência e fatores associados a lesões músculo-esqueléticas em jovens desportistas. Materiais e Métodos: Estudo quantitativo, transversal, com uma componente analítica, que utilizou uma amostra do tipo não probabilístico por conveniência, constituída por 108 jovens desportistas de dois clubes desportivos das zonas Centro e Norte de Portugal. O instrumento de recolha de dados integrava variáveis de caracterização: sociodemográfica, antropométrica e contextual à prática desportiva. Integrava ainda o Questionário Nórdico Músculo-Esquelético para avaliar as lesões. Resultados: Verificou-se uma prevalência de 43,5% de lesões músculo-esqueléticas, localizando-se estas nos ombros (34,3%), pernas/joelhos (34,3%), coluna lombar (23,1%), coluna cervical (15,7%), tornozelos/pés (12,0%) e cotovelos (11,1%). Os fatores associados com significância estatística (p<0.005) foram: o habitar em meio rural, possuir índices de massa corporal mais elevados, usar a mochila apenas num ombro, pertencer ao grupo de juvenis, ter histórico de lesões anteriores, e existência de paragens no percurso do desportivo. Discussão: os valores de prevalência de lesões são superiores aos de outros estudos, tendo variáveis multifatoriais como fatores associados que necessitam de um maior enfoque no cuidar especializado da enfermagem. Conclusões: A prevalência das LME nos jovens desportistas é de facto elevada e está associada a alguns fatores sociodemográficos, antropométricos e contextuais à prática desportiva, o que justifica a implementação de programas de prevenção das lesões e promoção da qualidade de vida dos jovens desportistas por parte dos profissionais de saúde.

Como citar este artigo: Martins, Rosa; Saramago, Tiago; Carvalho, Nélia. Lesões músculo-esqueléticas em jovens desportistas: estudo da prevalência e dos fatores associados. Revista Cuidarte. 2021;12(1):e1221. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.1221

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Rosa Martins, Instituto Politécnico de Viseu

Professora Coordenadora da escola Superior de Saúde de viseu

Coordenadora do Departamento de enfermagem de Reabilitação

Tiago Saramago, Instituto Politécnico de Viseu

Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viseu, Portugal

Nélia Carvalho, Instituto Politécnico de Viseu

Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viseu, Portugal

Citas

Pinho MC, Vaz MP, Arezes PM, Campos JR, & Magalhães AB. Lesões Músculo-esqueléticas relacionadas com as atividades desportivas em crianças e adolescentes: Uma revisão das questões emergentes. Motricid. 9(1).2461. 2013. http://dx.doi.org/10.6063/motricidade.9(1).2461.

Pascoal AG. Prevenção das Lesões Desportivas.- Boletim Sociedade Portuguesa de Educação Física, [S.l.], n. 26-27, p. 41-52, may 2017. Disponível em: http://boletim.spef.pt/index.php/spef/article/view/116

Oliveira P. Padrões e Incidência de Lesão: estudo de caso na equipa de futebol profissional do Clube Desportivo Feirense. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, 2016. Disponível em https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/87335/2/163765.pdf

Carvalho MAF. Lesões desportivas em jovens atletas de judo de alto nível competitivo: realidade nacional e internacional. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, 2015. Disponivel em https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/29703

Vanderlei FM, Bastos FN, Tsutsumi GYC, Vanderlei LCM, Jpunior JN, Pastre CM. Characteristics and contributing factors related to sports injuries in young volleyball players. BMC Res Notes. 2013. https://doi.org/10.1186/1756-0500-6-415

Castro AP. Lesões desportivas: generalidades. In Pessoa, P., & Jones, H. (coord.) Traumatologia desportiva (pp. 14-16). Lisboa: Edições LIDEL, 2014.

Bernardino AM. Lesões Desportivas no Futsal Feminino Universitário. (Dissertação de Mestrado). Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria, 2015. Disponível em https://iconline.ipleiria.pt/bitstream/10400.8/1641/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Final_%C3%82ngelaBernardino.pdf

Gonçalves MVP, Onaka GM, Graças D, Carregaro RL, Martinez PF, Oliveira-JS Epidemiologia de lesões músculo-esqueléticas em praticantes amadores de futebol. Motri. 2015;11(4):134-141. Disponível em: https://doi.org/10.6063/motricidade.6140

Martins R, Almeida A, Andrade Moreira H, Campos S. Prevalência e determinantes das perturbações músculo-esqueléticas em adolescentes. Psicol Criança Adolesc. 2016;7(1-2):73–82.

European Bone and Joint Health Strategies Project. European Action Towards Better Musculoskeletal Health, [Internet]. 2014 .Disponivel em: https://ec.europa.eu/health/ph_projects/2000/promotion/fp_promotion_2000_frep_15_en.pdf

Ordem dos Enfermeiros. Regulamento das competências comuns do enfermeiro Especialista. Aprovado em Assembleia Geral de 29 de maio de 2010.

Antunes N, & Marques-Vieira C. Enfermagem no Desporto, 2017. Disponivel em:https://www.researchgate.net/publication/312042716_Enfermagem_no_Desporto_Sports_Nursing

Mesquita CC, Ribeiro JS, & Moreira P. Portuguese version of the Standardized Nordic Musculoskeletal Questionnaire: cross cultural and reliability. Journal of Public Health Springer, p.461-466. https://doi.org/10.1007/s10389-010-0331-0

Cabral LMC. Lesões músculo-esqueléticas em atletas de alta competição. (Dissertação de Mestrado). Escola Superior de Saúde de Viseu, 2017. Disponivel em https://repositorio.ipv.pt/handle/10400.19/4769

Cordeiro NFS. Prevalência de Lesões Músculo-Esqueléticas em Atletas de Formação de Voleibol: Associação com os Fatores de Risco. (Dissertação de Mestrado), Universidade Fernando Pessoa, 2017. Disponivel em https://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/6257/1/PG_19863.pdf

Instituto Nacional de Estatística (INE). Crianças e Adolescentes em Portugal. Rev Estud Demográficos; 2015;55:53-101.

Sedrez JA, da Rosa MI, Noll M, Medeiros FS, Candotti CT. Fatores de risco associados a alterações posturais estruturais da coluna vertebral em crianças e adolescentes. Rev Paul Pediatr. 2015;33(1):72–81. https://doi.org/10.1016/j.rpped.2014.11.012

O’Keeffe M, O’Sullivan K, Kamper SJ. Schoolbags and back pain: opinions strongest where the evidence is weakest. Physiotherapy. 2018;104(1):e1. https://doi.org/10.1016/j.physio.2017.10.005

Jorge LCP. Análise da incidência de lesões em jovens futebolistas em fase de especialização. (Dissertação de Mestrado), Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra, 2015.Disponivel em https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/30322

Martins RL, Carvalho N, Albuquerque C, Andrade A, Martins C, Campos S, et al. Musculoskeletal disorders in Adolescents: a study on prevalence and determining factors. Acta Paul Enferm. 2020;33:e-APE20190173. https://doi.org/10.37689/acta-ape/2020AO0173

International Association for the Study of Pain. Classification of chronic pain. Seattle, Washington: IASP Press; 2002.

Seixas HRS. Prevalência de lesões desportivas, numa equipa de futebol, nos escalões de formação. (Dissertação de Mestrado), Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, 2015. Disponivel em https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/30587

Bonilla Ibañez CP, Díaz Heredia LP. Características das intervenções realizadas com adolescentes em condição de sobrepeso e obesidade: uma revisão integrada. Rev Cuid [Internet]. 13º de setembro de 2019 [citado 22º de julho de 2020];10(3). https://doi.org/10.15649/cuidarte.v10i3.681

Publicado
2021-02-19
Cómo citar
1.
Martins R, Saramago T, Carvalho N. Lesões músculo-esqueléticas em jovens desportistas: estudo da prevalência e dos fatores associados. Rev Cuid [Internet]. 19 de febrero de 2021 [citado 6 de marzo de 2021];12(1). Disponible en: https://revistacuidarte.udes.edu.co/index.php/cuidarte/article/view/1221
Sección
Artículos de Investigación