Segurança na intubação de sequência rápida recomendada no COVID-19: Relato de experiência

Palabras clave: Infecções por Coronavirus, Indução e Intubação de Sequência Rápida, Lista de Medicamentos Potencialmente Inapropriados, Enfermagem Baseada em Evidências, Segurança do Paciente

Resumen

Objetivo: Relatar a experiência de uma estratégia implementada para aumentar a segurança na administração dos medicamentos potencialmente perigosos preconizados na intubação de sequência rápida dos pacientes com COVID-19. Materiais e Métodos: Estudo descritivo do tipo relato de experiência, ancorado nos princípios do Programa Nacional de Segurança do Paciente, que descreve uma adaptação na bandeja para administrar medicamentos potencialmente perigosos na intubação de sequência rápida, organizada por cores, separando os medicamentos de acordo com suas classes terapêuticas, conforme sequência de administração. A estratégia foi implementada com a equipe multiprofissional das unidades de terapia intensiva de um hospital público especializado em Cardiologia do Rio de Janeiro. Resultados: A bandeja organizada por cores, foi utilizada em três situações de intubação de sequência rápida e a partir dessa estratégia foi elaborado um quadro com as características farmacológicas e cuidados de enfermagem referente aos medicamentos potencialmente perigosos utilizados, disposto na sala de preparo de medicação para consulta. Discussão: O uso seguro de medicamentos faz parte do terceiro desafio global de segurança do paciente, proposto pela organização mundial de saúde. Dentre os fatores que contribuem para incidentes com danos está o uso de medicamentos potencialmente perigosos. Estima-se que a implementação de barreiras de segurança como a estratégia apresentada neste relato é necessária para prevenção de eventos adversos. Conclusões: O uso de da bandeja com identificação colorida adotada, consistiu em barreira para possível ocorrência de potenciais incidentes decorrentes do uso de medicamentos potencialmente perigosos na intubação de sequência rápida nos pacientes com COVID-19.

Como citar este artigo: Franco, Andrezza Serpa; Henrique, Danielle de Mendonça; Almeida, Luana Ferreira; Prado, Lilian Moreira; Gomes, Roberta  Varzem Schwenck; Silva, Roberto Carlos Lyra. Segurança na intubação de sequência rápida recomendada no COVID-19: Relato de experiência.  Revista Cuidarte. 2020; 11(2): e1260. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.1260

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Andrezza Serpa Franco, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Professor Assistente do Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Danielle Mendonça Henrique, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgico da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. 

Luana Ferreira de Almeida, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de janeiro.

Lilian Moreira do Prado, Instituto Nacional de Cardiologia

 Coordenadora da UTI Pós operatório do Instituto Nacional de Cardiologia

Roberta Varzem Schwenck Gomes, Instituto Nacional de Cardiologia

Enfermeira da UTI Pós-operatório do Instituto Nacional de Cardiologia

Roberto Carlos Lyra Silva, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Professor Associado. Coordenador do Curso de Doutorado em Enfermagem e Biociências  da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Citas

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Especializada à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência. Protocolo de Manejo Clínico da Covid-19 na Atenção Especializada. 1. ed. rev. Brasília (Brasil): Ministério da Saúde; 2020.

World Health Organization. Clinical management of severe acute respiratory infection when novel coronavirus (2019-nCoV) infection is suspected. Interim guidance. Geneva: World Health Organization; 2020.

Liao X, Wang B, Kang Y. Novel coronavirus infection during the 2019-2020 epidemic: preparing intensive care units - the experience in Sichuan Province, China. Intensive Care Med. 2020; 46(2): 357–360. https://doi.org/10.1007/s00134-020-05954-2

Wu Z, McGoogan JM. Characteristics of and Important Lessons From the Coronavirus Disease 2019 (COVID-19) Outbreak in China: Summary of a Report of 72 314 Cases From the Chinese Center for Disease Control and Prevention. JAMA. 2020;323(13):1239–1242. https://doi.org/10.1001/jama.2020.2648

Associação Brasileira de Medicina de Emergência (ABRAMED), Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB). Protocolo de intubação orotraqueal p/ caso suspeito ou confirmado de COVID-19. ABRAMED, AMIB;2020.

Zuo MZ, Huang YG, Ma WH, Xue ZG, Zhang JQ, Gong YH, et al. Chinese Society of Anesthesiology Task Force on Airway Management. Expert Recommendations for Tracheal Intubation in Critically ill Patients with Noval Coronavirus Disease 2019.Chin Med Sci J. 2020. https://doi.org/10.24920/003724

Wahlen BM, El-Menyar A, Asim M, Al-Thani H. Rapid sequence induction (RSI) in trauma patients: Insights from healthcare providers. World J Emerg Med. 2019;10(1):19‐26. https://doi.org/10.5847/wjem.j.1920-8642.2019.01.003

Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB). Recomendações da Associação de Medicina Intensiva Brasileira para a abordagem do COVID-19 em medicina intensiva. AMIB;2020.

Stollings JL, Diedrich DA, Oyen LJ, Brown DR. Rapid-sequence intubation: a review of the process and considerations when choosing medications. Ann Pharmacother. 2014; 48(1): 62-76. https://doi.org/10.1177/1060028013510488

Sakles JC, Douglas MJK, Hypes CD, Patanwala AE, Mosier JM. Management of Patients with Predicted Difficult Airways in an Academic Emergency Department. J Emerg Med. 2017; 53(2):161-173. https://doi.org/10.1016/j.jemermed.2017.04.003

Brown III CA, Walls RM. Rapid sequence intubation. In: The Walls Manual of Emergency Airway Management, 5, Brown III CA, Sakles JC, Mick NW (Eds), Wolters Kluwer, Philadelphia 2018. p.235.

Instituto de Práticas Seguras de Medicação (ISMP). Medicamentos potencialmente perigosos de uso hospitalar - lista atualizada 2019. Boletim ISMP 2019; 8 (1).

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 529 de 1º de abril de 2013. Institui oPrograma Nacional de Segurança do Paciente. Diário Oficial da União, Brasília: MS, 2013a.

Alpendre FT, Batista J, Gaspari AP, Dyniewicz AM, Cruz EDA. Ciclo PDCA para elaboração de checklist de segurança cirúrgica. Cogitare Enferm. 2017;(22)3: e50964. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i3.50964

Henrique DM, Silva LD, Camerini FG, Andrade KBS, Pereira SRM, Fassarella CS. Aprazamento seguro da terapia analgésica com opioides no paciente queimado: um estudo transversal. Rev enferm UERJ. 2017;25:e28082. https://doi.org/10.12957/reuerj.2017.28082

BRASIL. Ministério da Saúde. Bulário Eletrônico da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. ANVISA. Ministério da Saúde; 2020.

World Health Organization. Medication Without Harm - Global Patient Safety Challenge on Medication Safety. Geneva: World Health Organization, 2017.

World Health Organization. Mental Health and Psychosocial Considerations During COVID-19 Outbreak. Geneva: World Health Organization, 2020.

Reis MAS, Gabriel CS, Zanetti ACB, Bernardes A, Laus AM, Pereira LRL. Medicamentos potencialmente perigosos: identificação de riscos e barreiras de prevenção de erros em terapia intensiva. Texto Contexto Enferm, 2018; 27(2):e5710016. http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072018005710016

Kothari D, Agrawal J. Color coded syringe labels: A modification to enhance patient safety. BJA: British Journal of Anaesthesia, 2013; 111(22). https://doi.org/10.1093/bja/el_9759

Souza N M G, Silva V M, Lopes M V O, Diniz C M, Ferreira G L. Avaliação da rotulagem com código de cores para identificação de medicamentos endovenosos. Rev Bras Enferm. 2019; 72( 3 ): 715-720. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0242

Publicado
2020-06-21
Cómo citar
1.
Franco AS, Henrique DM, Almeida LF de, Prado LM do, Gomes RVS, Silva RCL. Segurança na intubação de sequência rápida recomendada no COVID-19: Relato de experiência. Rev Cuid [Internet]. 21 de junio de 2020 [citado 20 de septiembre de 2020];11(2). Disponible en: https://revistacuidarte.udes.edu.co/index.php/cuidarte/article/view/1260
Sección
Reportes de Caso