Risco de adoecimento dos profissionais de enfermagem no trabalho em atendimento móvel de urgência

  • Fabiana Adol Worm Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.
  • Márcia Aparecida Oliveira Pinto Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.
  • Diego Schiavenato Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.
  • Rosana Amora Ascari Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Letícia de Lima Trindade Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.
  • Olvani Martins da Silva Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.

Resumen

Introdução: O trabalho dos profissionais de enfermagem do Serviço de Atendimento Móvel é de extremo risco ao adoecimento, por contaminação com fluídos, perfuro cortantes, risco no trânsito, ergonômicos, violência, físico e psicológico. Este estudo objetivou mapear os fatores de risco ao adoecimento relacionado ao trabalho dos profissionais de Enfermagem da Equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo transversal, através de um instrumento validado (Inventário sobre Trabalho e Riscos de Adoecimento). A amostra foi composta por 18 indivíduos maiores de 18 anos, técnicos de enfermagem e enfermeiros atuantes no atendimento móvel. Excluíram-se profissionais em férias e os ausentes. Resultados: Na avaliação do contexto de trabalho, a organização do trabalho foi apontada como crítica. Os Indicadores Prazer e Sofrimento no Trabalho apontaram liberdade de expressão dos profissionais, por outro lado há falta de reconhecimento e esgotamento profissional.  Para a avaliação dos danos relacionados ao trabalho destacam-se os danos físicos. Discussão: Na avaliação crítica, os profissionais sinalizaram que estão insatisfeitos com a “organização do trabalho”. Quanto ao prazer e sofrimento destacou-se o “esgotamento profissional” e a “falta de reconhecimento”. Os danos físicos evidenciados estiveram relacionados ao trabalho. Conclusões: Os resultados mostram que a equipe de enfermagem do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência apresenta riscos de adoecimento, principalmente relacionado ao fator físico e psicológico. É necessário rever as condições de trabalho destes profissionais, buscando a melhoria do local de trabalho. O risco ao adoecimento traz prejuízos no trabalho e na vida do profissional.

Cómo citar este artículo: Worm FA, Pinto MA, Schiavenato D, Ascari RA, Trindade L, Silva OM. Risco de adoecimento dos profissionais de enfermagem no trabalho em atendimento móvel de urgência. Rev Cuid. 2016; 7(2): 1288-96. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v7i2.329

Biografía del autor/a

Fabiana Adol Worm, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.
Enfermeira, Graduada em Enfermagem pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC. Enfermeira Assistencial do Hospital Regional do Oeste - Chapecó, SC, Brasil.
Márcia Aparecida Oliveira Pinto, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.
Enfermeira, Graduada em Enfermagem pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC. Enfermeira do Hospital Regional de Palmitos, SC, Brasil.
Diego Schiavenato, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.
Enfermeiro (a), Graduado (a) em Enfermagem pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.
Rosana Amora Ascari, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Enfermeira. Doutoranda em Enfermagem pela UFRGS. Docente da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Membro do Grupo de Estudos sobre Saúde e Trabalho - GESTRA/UDESC.
Letícia de Lima Trindade, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.

Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina. Líder do Grupo de Estudos sobre Saúde e Trabalho Gestra/Udesc. 

Olvani Martins da Silva, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Chapecó, Brasil.

Doutoranda em Enfermagem. Mestre em Unidade de Terapia Intensiva. Professora Assistente do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC. 

Publicado
2016-07-01
Cómo citar
Adol Worm, F., Aparecida Oliveira Pinto, M., Schiavenato, D., Amora Ascari, R., de Lima Trindade, L., & Martins da Silva, O. (2016). Risco de adoecimento dos profissionais de enfermagem no trabalho em atendimento móvel de urgência. Revista Cuidarte, 7(2), 1288-96. https://doi.org/10.15649/cuidarte.v7i2.329
Sección
Artículos de Investigación