O processo de ensino-aprendizagem de puérperas nutrizes sobre aleitamento materno

Resumen

Introdução: A prática educativa no puerpério sobre aleitamento materno deve estar inserida no fazer dos profissionais de saúde, incluindo o enfermeiro. Nessa perspectiva, o estudo objetivou descrever o processo de ensino-aprendizagem relacionado ao aleitamento materno de puérperas nutrizes. Materiais e Métodos: Pesquisa qualitativa, desenvolvida em 2017, através do método criativo sensível, junto a 08 puérperas no Alojamento Conjunto de um hospital municipal de Rio das Ostras, Brasil, cujos dados foram submetidos à análise temática. Resultados: O processo de ensino-aprendizagem foi permeado pela influência de mulheres da família e de outras gestantes, além de profissionais de saúde, particularmente de enfermeiras do hospital. Nessas relações, o aprendizado foi sobre importância da amamentação, qualidade do leite materno, posicionamento do bebê e manejo das mamas. A mediação de saberes ocorreu por experiências prévias, além de orientações profissionais através de estratégias verbais e demonstrativas. Discussão: As enfermeiras do hospital são as profissionais que frequentemente orientam e apoiam o aleitamento materno. Conclusões: É preciso avançar em ações educativas em saúde sobre a temática, especialmente a partir do conhecimento anterior das puérperas.

Como citar este artigo: Rocha ALA, Góes FGB, Pereira FMV, Moraes JRMM, Barcia LLC, Silva LF. O processo de ensino-aprendizagem de puérperas nutrizes sobre aleitamento materno. Rev Cuid. 2018; 9(2): 2165-76. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i2.510

Biografía del autor/a

Andréa Lyra Arnozo da Rocha, Universidade Federal Fluminense. Rio das Ostras, Brasil.
Acadêmica de Enfermagem. Universidade Federal Fluminense. Rio das Ostras, Brasil.
Fernanda Garcia Bezerra Góes, Universidade Federal Fluminense. Rio das Ostras, Brasil.
Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem de Rio das Ostras da Universidade Federal Fluminense. Rio das Ostras, Brasil.
Fernanda Maria Vieira Pereira, Universidade Federal Fluminense. Rio das Ostras, Brasil.
Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem de Rio das Ostras da Universidade Federal Fluminense. Rio das Ostras, Brasil.
Juliana Rezende Montenegro Medeiros de Moraes, Departamento de Enfermagem Materno-Infantil da Escola de Enfermagem Anna Nery da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil.
Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil da Escola de Enfermagem Anna Nery da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil.
Leila Leontina do Couto Barcia, Departamento de Enfermagem de Rio das Ostras da Universidade Federal Fluminense. Rio das Ostras, Brasil.
Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem de Rio das Ostras da Universidade Federal Fluminense. Rio das Ostras, Brasil.
Liliane Faria da Silva, Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica da Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense. Niterói, Brasil.

Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica da Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense. Niterói, Brasil.

 

Citas

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde da criança: aleitamento materno e alimentação complementar. 2nd ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2015. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e Distrito Federal. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2009. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pesquisa_prevalencia_aleitamento_materno.pdf

Venâncio SI, Martins MCN, Sanches MTC, Almeida H, Rios GS, Frias PG. Análise de implantação da Rede Amamenta Brasil. Cad. Saúde Pública. 2013; 29(11): 2261-74. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00156712

Soratto J, Pires DEP, Cabral IE, Lazzari DD, Witt RR, Sipriano CAS. A maneira criativa e sensível de pesquisar. Rev Bras Enferm. 2014; 67(6): 994-9. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.201467061

Tong A, Sainsbury P, Craig J. Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ): a 32-item checklist for interviews and focus groups. International Journal for Quality in Health Care. 2007; 19(6): 349-57. https://doi.org/10.1093/intqhc/mzm042

Fontanella BJB, Ronis MJL. Saturação teórica em pesquisas qualitativas: contribuições psicanalíticas. Psicol Estud. 2012; 17(1): 63-71. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722012000100008

Minayo MCS. O desafio do conhecimento. 12nd ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2012.

Nakano AMS. O espaço social das mulheres e a referência para o cuidado na prática da amamentação. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2007; 15(2): 230-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692007000200007

Batista KRA, Farias MCAD, Melo WSN. Influência da assistência de enfermagem na prática da amamentação no puerpério imediato. Saúde em Debate. 2013; 37(96): 130-8.

Góes FGB, Rangel RO, Borges RLL. Práticas educativas do enfermeiro junto às puérperas sobre a amamentação. Rev enferm UFPE on Line. 2009; 3(1): 46-53. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v3i1a5700p43-53-2009

Barbosa LN, Santos NC, Moraes MAM, Rizzardi SD, Corrêa EC. Prevalência de práticas educativas acerca do aleitamento materno exclusivo em Cuiabá – MT. Esc Anna Nery. 2015; 19(1): 147-53. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20150020

Prates LA, Schmalfuss JM, Lipinski JM. Social support network of post-partum mothers in the practice of breastfeeding. Esc Anna Nery. 2015; 19(2): 310-15 http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20150042

Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43nd ed. São Paulo (SP): Paz e Terra; 2011.

Luna IF, Torres EA, Tamayo C, Vélez S, Ramírez MM, González C, et al. Uso de lãs tecnologías de información y comunicación para el cuidado del binômio materno-fetal: revisión de tema. Med U.P.B. 2015; 34(2): 138-147.

Silva NMS, Waterkemper R, Silva EF, Cordova FP, Bonilha AL. Conhecimento de puérperas sobre amamentação exclusiva. Rev Bras Enferm. 2014; 67(2): 290-5. http://dx.doi.org/10.5935/0034-7167.20140039

Chaves AFL, Lima GP, Melo GM, Rocha RS, Vasconcelos HCA, Oriá MOB. Validation of a flipchart for promotion of self-efficacy in breastfeeding. Rev Rene. 2015; 16(3): 586-93. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000600013

Moya-Plata D, Guiza-Salazar IJ, Mora-Merchán MA. Ingreso Temprano al Control Prenatal en una Unidad Materno Infantil. Rev Cuid. 2010; 1(1): 44-52. https://doi.org/10.15649/cuidarte.v1i1.73

Martínez JC. Practicas evaluativas del proceso de atención de enfermería: una visión de docentes y estudiantes. Rev Cuid. 2017; 8(1): 1459-75. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i1.351

Fontoura-Abissulo CM, Silvino ZR, Ferreira HC. Validation of realistic simulators used for breastfeeding guidance: a quasi-experimental study. Online braz J Nurs. 2016; 15 (4): 599-604. http://dx.doi.org/10.17665/1676-4285.20165345

Publicado
2018-05-04
Cómo citar
Arnozo da Rocha, A. L., Garcia Bezerra Góes, F., Vieira Pereira, F. M., Montenegro Medeiros de Moraes, J. R., do Couto Barcia, L. L., & da Silva, L. F. (2018). O processo de ensino-aprendizagem de puérperas nutrizes sobre aleitamento materno. Revista Cuidarte, 9(2), 2165-76. https://doi.org/10.15649/cuidarte.v9i2.510
Sección
Artículos de Investigación