Perfil de saúde de idosos muito velhos em vulnerabilidade social na comunidade

Resumen

Introdução: O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial que envolve várias condições de saúde na sociedade, somando mudanças econômicas, sociais, culturais, demográficas do resultado declínio na taxa de fertilidade e do aumento da longevidade. Objetivo: analisar o perfil de saúde dos idosos muito velhos residentes no município de Aracaju-SE, inseridos em seu contexto social. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de coorte transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 601 idosos muito velhos de Aracaju-SE, com aplicação do instrumento de Exame de Estado Mental (MEEM); e e outo com dados gerais, contendo aspectos socioeconómicos e clínicos. Resultados: 77(12,8%)  não atingiram o ponto de corte do MEEM, 369 (70,5%) sexo femenino e 155 (29,5%) do masculino; 217 (41,4%) escolaridade incompleta; 359 (68,6) era hipertensos, 143 (27,3%) hipercoleristemicos; 122 (23,3%) diabéticos; 175 (33,5%) possuíam artrose. Discussão e Conclusões: Evidenciou-se que os idosos estão mais vulneráveis a exposição de patologias crônicas como HAS, DM, Hipercolesterolemia, artrose e a situações críticas presentes no cotiando de suas atividades de vida diária, como quedas e autopercepção da saúde, sendo necessário atenção ao perfil de saúde dos idosos muito velhos.

Como citar este artigo: Santos VP, Lima WR, Rosa RS, Barros IMC, Boery RNSO, Ciosak SI. Perfil de saúde de idosos muito velhos em vulnerabilidade social na comunidade. Rev Cuid. 2018; 9(3): 2322-37. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i3.542

Biografía del autor/a

Vanei Pimentel Santos, Universidade Federal de Sergipe/UFS. Aracaju (SE), Brasil.
Enfermeiro, Pós-graduado em Saúde do Adulto e do Idoso, Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Universidade Federal de Sergipe/UFS. Aracaju (SE), Brasil. Autor para correspondência.
Wilma Resende Lima, Universidade Federal de Sergipe/UFS. Aracaju (SE), Brasil.
Enfermeira, Professora Doutora, Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto e Idoso, Universidade Federal de Sergipe/UFS. Aracaju (SE), Brasil. 
Randson Souza Rosa, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié (BA), Brasil.
Enfermeiro, Mestre em Enfermagem, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié (BA), Brasil. 
Izadora Menezes da Cunha Barros, Unidade de Farmácia Clínica do Hospital Universitário de Sergipe /HUSE/UFS. Aracaju (SE), Brasil.
Farmacêutica, Doutora em Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Chefe da Unidade de Farmácia Clínica do Hospital Universitário de Sergipe /HUSE/UFS. Aracaju (SE), Brasil. 
Rita Narriman Silva de Oliveira Boery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié (BA), Brasil.
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié (BA), Brasil. 
Suely Itsuko Ciosak, Universidade de São Paulo. São Paulo (SP), Brasil.
Enfermeira. Livre-Docente. Professora Associada do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo (SP), Brasil. 

Citas

Lima-Costa MF. Estudo de Coorte de Idosos de Bambuí (1997-2008). Cad Saúde Pública. 2011; 324-5. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2011001500001

Schneider RH, Irigaray TQ. O envelhecimento na atualidade: aspectos cronológicos, biológicos, psicológicos e sociais. Estudos de Psicologia I Campinas I. [Internet] 2008. 25(4): 585-93.

Brito MCC, Freitas CASL, Mesquita KO, Lima GK. Envelhecimento populacional e os desafios para a saúde pública: análise da produção científica. Revista Kairós Gerontologia. 2013; 16(3): 161-78.

Janney CA, Cauley JA, Cawthon PM, Kriska AM. Longitudinal Physical Activity Changes in Older Men in the Osteoporotic Fractures in Men Study. Journal American Geriatrics Society. 2010, 58(6): 1128-33.

Veras R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Rev Saúde Pública. 2009. 43(3): 548-54. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102009005000025

Rosset I, Pedrazzi EC, Roriz-Cruz M, Morais EP, Rodrigues RAP. Tendências dos estudos com idosos mais velhos na comunidade: uma revisão sistemática (inter) nacional. Rev Esc Enferm USP. 2011; 45(1): 264-71. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000100037

Carvalho JAM, Rodriguez-Wong LL. A transição da estrutura etária da população brasileira na primeira metade do século XXI. Cad Saúde Pública. 2008; 24(3): 597-605. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2008000300013

Moraes, EN. Princípios básicos de geriatria e gerontologia. Belo Horizonte: Belo Horizonte: Coopemed; 2008. 700 p.

Goncalves LHT, Polaro SHI, Carvalho JN, Góes TM, Medeiros HP, Souza FJD. Condições de vida e saúde de idosos Amazônidas: realidade de comunidades periféricas de cidades paraenses. Rev enferm UFPE. 2015; 9(1): 39-46. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v9i1a10304p39-46-2015

Lima JC, Pedrosa JM, Floriano LA, Miguéis GS, Azevedo RCS. Perfil de saúde de idosos em unidades de saúde da família num município de Mato Grosso. Revista Eletrônica Gestão & Saúde. 2014; 5(5): 3132-46. http://dx.doi.org/10.18673/gs.v5i5.13783

Lucca MG, Recchia A, Logroscino G, Tiraboschi P, Franceschi M, Bertinotti C, et al. A Population-based study of dementia in the oldest old: the Monzino 80-plus Study. BMC Neurology. 2011, 11: 54. https://doi.org/10.1186/1471-2377-11-54

Pereira GN, Bastos GAN, Del Duca GFB, Gonçalves AJ. Indicadores demográficos e socioeconômicos associados à incapacidade funcional em idosos. Cad Saúde Pública. 2012; 28(11): 2035-42. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012001100003

Machado JC, Ribeiro RCL, Cotta RMM, Leal PFG. Declínio cognitivo de idosos e sua associação com fatores epidemiológicos em Viçosa, Minas Gerais. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2011; 14(1): 109-21. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232011000100012

Virtuoso JF, Mazo GZ, Menezes EC, Cardoso AS, Dias RG, Balbé GP. Perfil de morbidade referida e padrão de acesso a serviços de saúde por idosos praticantes de atividade física. Ciência & Saúde Coletiva. 2012; 17(1): 23-31. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000100005

Maciel ACC, Guerra RO. Influence of biopsychosocial factorson the functional capacity of the elderly living in Brazil’s Northeast. Rev Bras Epidemiologia. 2007; 10(2): 178-89. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2007000200006

Polaro SHI, Gonçalves LHT, Franhani CS, Feitosa ES. Condições de vida e saúde de idosos residentes em áreas Ribeirinhas. Rev enferm UFPE. 2013; 7(9): 5510-7.

Ministério da Saúde (BR). Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa: Manual de preenchimento. Brasília: Ed. Ministério da Saúde. 2008.

Cruz DT, Ribeiro LC, Vieira MT, Teixeira MTB, Bastos RR, Leite ICG. Prevalência de quedas e fatores associados em idosos. Rev Saúde Pública. 2012; 46(1): 138-46. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102011005000087

Celich DKLS, Souza SMS, Zenevicz L, Orso ZA. Fatores que predispõem às quedas em idosos. RBCEH. 2010, 7(3): 419-26. https://doi.org/10.5335/rbceh.2012.776

Gasparott LPR, Falsarella GRF, Coimbra AMV. As quedas no cenário da velhice: conceitos básicos e atualidades da pesquisa em saúde. Rev. Bras Geriatr Gerontol. 2014; 17(1): 201-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232014000100019

Marques AP, Montilla DLR, Almeida WS, Andrade CLT. Internação de idosos por condições sensíveis à atenção primária à saúde. Rev Saúde Pública. 2014; 48 (5): 817-26. https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048005133

Pilger C, Menon MU, Mathias TAF. Utilização de serviços de saúde por idosos vivendo na comunidade. Rev Esc Enferm USP. 2013; 47(1): 213-20. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342013000100027

Martins AMEB, Haikal DS, Pereira SM, Barreto AJD. Uso regular de serviços odontológicos por rotina entre idosos brasileiros: Projeto SB Brasil. Cad Saúde Pública. 2008; 24(7): 1651-66. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000700020

Souza EHA, Oliveira PAP, Paegle AC, Goes PSA. Raça e o uso dos serviços de saúde bucal por idosos. Ciência e Saúde Coletiva. 2012, 17(8): 2063-70. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000800017

Silva AL, Ribeiro AQ, Klein CH, Acurcio FA. Utilização de medicamentos por idosos brasileiros, de acordo com a faixa etária: um inquérito postal. Cad. Saúde Pública. 2012; 28(6): 1033-45. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012000600003

Criscuolo C, Monteiro MI, Telarolli RJ. Educação nutricional com idosos. Alim. Nutr. 2012; 23(3): 399-405.

Araújo LF, Coelho CG, de Mendonça ET, Vaz AVM, Siqueira-Batista R, Cotta RMM. Evidências da contribuição dos programas de assistência ao idoso na promoção do envelhecimento saudável no Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2011: 30(1): 806. https://doi.org/10.1590/S1020-49892011000700012

Costa Neto AM, Azevedo GAV, Santos AG. Hábitos de vida e o desempenho de idosos nas atividades básicas da vida diária. Rev enferm UFPE. 2013; 7(7): 4663-9. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v7i7a11716p4663-4669-2013

Sousa FJD, Andrade FS. Perfil de los adultos mayores usuarios de atención primaria. Rev Cuid. 2017; 8(2): 1573-81. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i2.376

Publicado
2018-09-05
Cómo citar
Pimentel Santos, V., Resende Lima, W., Souza Rosa, R., Menezes da Cunha Barros, I., Silva de Oliveira Boery, R. N., & Itsuko Ciosak, S. (2018). Perfil de saúde de idosos muito velhos em vulnerabilidade social na comunidade. Revista Cuidarte, 9(3), 2322-37. https://doi.org/10.15649/cuidarte.v9i3.542
Sección
Artículos de Investigación