Redes de atenção à saúde na formação em enfermagem: interpretações a partir da atenção primária à saúde

André Lucas Maffissoni, Carine Vendruscolo, Letícia de Lima Trindade, Denise Antunes de Azambuja Zocche

Resumen


Introdução: As Redes de Atenção à Saúde são arranjos de ações e serviços de saúde que objetivam o atendimento integral e qualificado no Sistema Único de Saúde do Brasil. As redes configuram um modelo organizacional em crescente construção no contexto brasileiro, o que exige dos profissionais de enfermagem e da saúde, principalmente na atenção primária, conhecimento acerca de suas particularidades de operacionalização. Neste sentido, objetivou-se identificar como o modelo de atenção proposto pelas redes de atenção tem orientado a formação em enfermagem.  Materiais e Métodos: Estudo qualitativo, descritivo e exploratório. Participaram da investigação 15 estudantes e 15 professoras de cursos de enfermagem de duas universidades públicas, as quais responderam a uma entrevista semiestruturada. Os dados foram interpretados a partir da análise temática. Resultados: Identificou-se como ocorre a abordagem do tema na formação em enfermagem, principais metodologias utilizadas e períodos nos quais é abordado. Discussão: As redes são discutidas na formação em enfermagem, contudo, a abordagem possui algumas fragilidades que podem e devem ser superadas, com vistas à qualificação dos processos formativos e, consequentemente, para a ampliação das ações da atenção primária e do acesso à saúde. Evidencia-se a necessidade de dialogar sobre a transversalidade de temas emergentes e relevantes no itinerário formativo em saúde, sobretudo na enfermagem, mediante movimentos de integração ensino-serviço e metodologias mais problematizadoras. Conclusões: Há abordagem sobre a temática das redes na formação, contudo, de modo frágil e superficial. Julga-se necessário a existência de discussões com maior aprofundamento acerca do tema. 

Como citar este artigo: Maffissoni AL, Vendruscolo C, Trindade ll, Zocche AA. Redes de atenção à saúde na formação em enfermagem: interpretações a partir da atenção primária à saúde. Rev Cuid. 2018; 9(3): 2309-21. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i3.549


Palabras clave


Educação em Enfermagem; Atenção Primária à Saúde; Sistema Único de Saúde.

Referencias


Santos DS, Mishima SM, Merhy EE. Processo de trabalho na Estratégia de Saúde da Família: potencialidades da subjetividade do cuidado para reconfiguração do modelo de atenção. Ciênc saúde coletiva. 2018; 23(3): 861-70. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018233.03102016

Tesser CD. Núcleos de Apoio à Saúde da Família, seus potenciais e entraves: uma interpretação a partir da atenção primária à saúde. Interface (Botucatu). 2016; 21(62): 565-78. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622015.0939

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. 2. ed. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 2011. 554 p.

Silva SF. Organização de redes regionalizadas e integradas de atenção à saúde: desafios do Sistema Único de Saúde (Brasil). Ciên Saúde Coletiva. 2010; 16(6): 2753-62. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000600014

Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Brasil. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 19 set. 1990.

Santos L. Região de saúde e suas redes de atenção: modelo organizativo-sistêmico do SUS. Ciênc saúde coletiva. 2017; 22(4): 1281-9. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232017224.26392016

Maffissoni AL, Vendruscolo C, Metelski FK. Redes de Atenção à Saúde: Movimentos do Ensino e Serviço Rumo à Efetivação do Modelo Assistencial. Ensaios e Ciência. 2017; 21(2): 110-6. http://dx.doi.org/10.17921/1415-6938.2017v21n2p110-116

Bardin L. Análise de conteúdo. Edição revista e ampliada. São Paulo: Edições 70, 2011. 279 p.

Vendruscolo C, Ferraz F, Prado ML, Kleba ME, Reibnitz KS. Integração ensino-serviço e sua interface no contexto da reorientação da formação na saúde. Interface (Botucatu). 2016; 20(59): 1015-25. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622015.0768

Maffissoni AL, Vendruscolo C, Trindade LL. Redes de atenção à saúde no ver-sus oeste catarinense: contribuições para o ensino em enfermagem. Rev Enferm UFSM. 2017; 7(2): 167-78. http://dx.doi.org/10.5902/2179769225853

Vendruscolo C, Prado ML, Kleba ME. Formação de recursos humanos em saúde no Brasil: Uma revisão integrativa. Educ Rev. 2014; 30(1): 215-44. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-46982014000100009

Barlem JGT, Lunardi VL, Barlem ELD, Bordignon SS, Zacarias CC, Lunardi Filho WD. Fragilidades, fortalezas e desafios na formação do enfermeiro. Esc Anna Nery. 2012; 16(2): 347-53. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452012000200020

Kloh D, Reibnitz KS, Boehs AE, Wosny AM, Lima MM. Princípio da integralidade do cuidado nos projetos político-pedagógicos dos cursos de Enfermagem. Rev Latinoam Enfermagem. 2014; 22(4): 693-700. http://dx.doi.org/10.1590/0104-1169.3381.2469

Tesser CD, Norman AH. Repensando o acesso ao cuidado na Estratégia Saúde da Família. Saude Soc. 2014; 23(3): 869-83. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902014000300011

Lopes RE, Silva AC, Nóbrega-Therrien SM. Formação reflexiva no ensino da enfermagem: discussão à luz de Schön. Cad Pesqui. 2015; 22(1): 27-58. http://dx.doi.org/10.18764/2178-2229.v22.n1.p.47-58

Oliveira ES. Motivação no ensino superior: estratégias e desafios. Contexto e Educação. 2017; 32(101): 212-32. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2017.101.212-232

Gil AC. Didática do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2006. 286 p.

Freire P. Pedagogia do Oprimido. 64. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 2017. 255 p.

Jones P. Exploring the relationship of threshold concepts and Hodges’ model of care from the individual to populations and global health. Rev Cuid. 2017; 8(3): 1697-720. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i3.464

Souza CS, Iglesias AG, Pazin-Filho A. Estratégias inovadoras para métodos de ensino tradicionais - aspectos gerais. Medicina (Ribeirão Preto). 2014; 47(3): 284-92. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v47i3p284-292

Valderrama ML, Peña AP, Clavijo LM. Narrativa: el estudiante de enfermería aprendiendo el arte de cuidar. Rev Cuid. 2017; 8(1): 1488-98. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i1.362

Farah BF, Dutra HS, Sanhudo NF, Costa LM. Percepção de enfermeiros supervisores sobre liderança na atenção primária. Rev Cuid. 2017; 8(2): 1638-55. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i2.398


Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.