Efeitos da laserterapia no tratamento de lesões por pressão: uma revisão sistemática

Resumen

Introdução: As lesões por pressão acontecem por consequência de uma pressão aplicada sobre a pele durante um período prolongado de tempo e imobilização. Elas representam um dos principais problemas de saúde pública da atualidade, alcançando índices preocupantes e mortes evitáveis. O objetivo desse estudo foi estudar a eficácia da laserterapia no processo de cicatrização de lesões por pressão. Materiais e Métodos: Tratou-se de uma revisão sistemática da literatura realizada nas bases de dados SCIELO, LILACS e PUBMED e na Biblioteca Virtual de Dissertações e Teses da Universidade de São Paulo, entre os anos de 2001 e 2017, nas línguas portuguesa e inglesa, utilizando os seguintes descritores: Laserterapia, Laser de Baixa Potência, Úlcera por Pressão, Lesão por Pressão ou “Laser Therapy”, “Low Intensity Laser”, “Pressure Ulcer”, “Pressure Injury”. Resultados: Foram selecionados onze artigos científicos, dentre os quais podemos destacar que doses de 4 J/cm2 com comprimento de onda de 658 nm foram as mais eficazes no tratamento das lesões por pressão. Discussão: Alguns estudos têm encontrado a efetividade do uso do laser de baixa frequência na cicatrização de lesões por pressão. A técnica de aplicação a laser varia conforme as características das feridas, levando-se em conta o aspecto do leito e, principalmente sua dimensão. Conclusões: Enfatiza-se a necessidade dos enfermeiros se capacitarem em relação à laserterapia, visando ao tratamento das lesões por pressão pois, o laser de baixa potência representa um tratamento promissor para acelerar a cicatrização de feridas cutâneas.

Como citar este artigo: Bernardes LO, Jurado SR. Efeitos da laserterapia no tratamento de lesões por pressão: uma revisão sistemática. Rev Cuid. 2018; 9(3): 2423-34. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i3.574

Biografía del autor/a

Lucas de Oliveira Bernardes, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas, Brasil.
Graduando em Enfermagem e Bolsista do Programa de Educação Tutorial (PET) Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas, Brasil. 
Sonia Regina Jurado, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas, Brasil.
Doutora em Fisiopatologia em Clínica Médica e Tutora do Programa de Educação Tutorial (PET) Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas, Brasil. 

Citas

Lomba L, Bessa R, Santos S. Localização e medidas preventivas de úlceras de pressão em idade pediátrica: revisão integrativa da literatura. Rev Cuid. 2015; 6(2): 1085-93. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v6i2.169

Azevedo VS. Tratamento de úlceras de pressão com laser de baixa intensidade. Fisioter Bras. 2009; 10(2): 135-38.

Ruh AC, Frigo L, Cavalcanti MFXB, Svidnicki P, Vicari VN, Lopes-Martins RAB, et al. Laser photobiomodulation in pressure ulcer healing of human diabetic patients: gene expression analysis of inflammatory biochemical markers. Lasers Med Sci. 2018; 33(1): 165-71. http://dx.doi.org/10.1007/s10103-017-2384-6

Stefanello TD, Hamerski CR. Tratamento de úlcera de pressão através do laser AsGa de 904 nm - um relato de caso. Arq Ciên Saúde Unipar. 2006; 10(2): 99-103. http://doi.org/10.25110/arqsaude.v10i2.2006.273

Ortiz-Vargas I, García-Campos ML, Beltrán-Campos V, Gallardo-López F, Sánchez-Espinosa A, Montalvo MER. Cura húmeda de úlceras por presión. Atención en el ámbito domiciliar. Enferm Univ. 2017; 14(4): 243-50. http://dx.doi.org/10.1016/j.reu.2017.09.001

Costa MP, Sturtz G, Costa FPP, Ferreira MC, Barros Filho TEP. Epidemiologia e tratamento das úlceras de pressão: Experiência de 77 casos. Acta Ortop Bras. 2005; 13(3): 124-33. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-78522005000300005

Rocha JA, Miranda JM, Andrade JM. Abordagem terapêutica das úlceras de pressão - intervenções baseadas na evidência. Acta Med Port. 2006; 19: 29-38.

Laranjeira CA, Loureiro S. Fatores de risco das úlceras de pressão em doentes internados num hospital português. Rev Salud Pública. 2017; 19(1): 99-104. http://dx.doi.org/10.15446/rsap.v19n1.42251

Souza NR, Freire DA, Souza MAO, Melo JTS, Santos LV, Bushatsky M. Fatores predisponentes para o desenvolvimento da lesão por pressão em pacientes idosos: uma revisão integrativa. Estima. 2017; 15(4): 229-39. http://dx.doi.org/10.5327/Z1806-3144201700040007

Costa ACO, Pinho CPS, Santos ADA, Nascimento ACS. Pressure ulcer: Incidence and demographic, clinical and nutrition factors associated in intensive care unit patients. Nutr Hosp. 2015; 32(5): 2242-52. http://dx.doi.org/10.3305/nh.2015.32.5.9646

Sousa RG, Oliveira TL, Lima LR, Stival MM. Fatores associados à úlcera por pressão (UPP) em pacientes críticos: revisão integrativa da literatura. Univ Ci Saúde. 2016; 14; 1: 77-84. http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v14i1.3602

National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP); European Pressure Ulcer Advisory Panel (EPUAP); Pan Pacific Pressure Injury Alliance (PPPIA). Prevention and treatment of pressure ulcers: clinical practice guideline. Perth, Australia: Cambridge Media; 2014.

Nogueira PC, Caliri MHC, Santos CB. Fatores de risco e medidas preventivas para úlcera de pressão no lesado medular. Experiência da equipe de enfermagem do HCFMRP-USP. Medicina. 2002; 35(1): 14-23. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v35i1p14-23

Loudet CI, Marchena MC, Maradeo MR, Fernández SL, Romero MV, Valenzuela GE. Diminuição das úlceras por pressão em pacientes com ventilação mecânica aguda prolongada: um estudo quasi-experimental. Rev Bras Ter Intensiva. 2017; 29(1): 39-46. http://dx.doi.org/10.5935/0103-507x.20170007

Galvão NS, Serique MAB, Santos VLCG, Nogueira PC. Knowledge of the nursing team on pressure ulcer prevention. Rev Bras Enferm. 2017; 70(2): 294-300. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0063

Castro LA, Assis GM. Impacto da avaliação de risco para úlcera por pressão na adesão da equipe a medidas preventivas recomendadas. Estima. 2017; 15(4): 200-6. http://dx.doi.org/10.5327/Z1806-3144201700040003

Busnardo VL, Biondo-Simões MLP. Os efeitos do laser hélio-neônio de baixa intensidade na cicatrização de lesões induzidas em ratos. Rev Bras Fisioter. 2010; 14(1): 45-51. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552010000100008

Assis GM, Moser ADL. Laserterapia em úlceras por pressão: limitações para avaliação de resposta em pessoas com lesão medular. Texto Contexto – Enferm. 2013; 22(3): 850-6. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000300035

Vidal-Ramos LA, Brito MM, Queiroz WWM, Santos D, Dias CAGM, Oliveira JCS, et al. A eficácia do laser de baixa potência na cicatrização de úlcera de decúbito em paciente diabético: estudo de caso. Biota Amazônica. 2014; 4(2): 74-9. http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v4n2p74-79

Linde K, Willich SN. How objective are systematic reviews? Differences between review son complementary medicine. J R Soc Med. 2003; 96(1): 17-22. https://doi.org/10.1177/014107680309600105

Santos CMC, Pimenta CAM, Nobre MRC. The PICO strategy for the research question construction and evidence search. Rev Latino-Am Enfermagem. 2007; 15(3): 508-11. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692007000300023

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto – Enferm. 2008; 17(4): 758-64. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG, Group P. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. J Clin Epidemiol. 2009; 62(10): 1006-12. https://doi.org/10.1016/j.jclinepi.2009.06.005

Louro M, Ferreira M, Povoa P. Avaliação de protocolo de prevenção e tratamento de úlceras de pressão. Rev Bras Ter Intensiva. 2007; 19(1): 337-41. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2007000300012

Abreu MA, Rolim VE, Dantas RCO. Ações de enfermagem para prevenção de úlceras por pressão em clientes em unidade de terapia intensiva. RPI. 2017; 2: 686-96. http://dx.doi.org/10.24219/rpi.v2i2.400

Rodríguez-Acelas AL, Canõn-Montañez WC. Contribuciones de las escalas en salud como herramientas que influencian decisiones en el cuidado de los pacientes. Rev Cuid. 2018; 9(1): 1949-60. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i1.498

Olkoski E, Assis GM. Aplicação de medidas de prevenção para úlceras por pressão pela equipe de enfermagem antes e após uma campanha educativa. Esc Anna Nery. 2016; 20(2): 363-9. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160050

Medeiros ABF, Lopes CHAF, Jorge MSB. Análise da prevenção e tratamento das úlceras por pressão propostos por enfermeiros. Rev Esc Enferm USP. 2009; 43(1): 223-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342009000100029

Sorensen JL, Jorgensen B, Gottrup F. Surgical treatment of pressure ulcers. Am J Surg. 2004; 188(1): 42-51. http://dx.doi.org/10.1016/S0002-9610(03)00290-3

Vaghardoost R, Momeni M, Kazemikhoo N, Mokmeli S, Dahmardehei M, Ansari F, et al. Effect of low-level laser therapy on the healing process of donor site in patients with grade 3 burn ulcer after skin graft surgery (a randomized clinical trial). Lasers Med Sci. 2018; 33(3): 603-7. http://dx.doi.org/10.1007/s10103-017-2430-4

Feitosa MCP, Carvalho AFM, Feitosa VC, Coelho IM, Oliveira RA, Arisawa EAL. Effects of the Low-Level Laser Therapy (LLLT) in the process of healing diabetic foot ulcers. Acta Cir Bras. 2015; 30(12): 852-7. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-865020150120000010

Joppert D, Machado D, Silveira LM, Kale Júnior N, Goulart R, Mello M, et al. Fechamento de úlceras de pressão em pacientes com lesão medular: proposta terapêutica. Fisioter Bras. 2011; 2(4): 303-9.

Cullum N, Nelson EA, Flemming K, Sheldon T. Systematic reviews of wound care management: beds, compression, laser therapy, therapeutic ultrasound, electrotherapy and electromagnetic therapy. Health Technol Assess. 2001; 5(9): 1-221. http://dx.doi.org/10.3310/hta5090

Palagi S, Severo IM, Menegon DB, Lucena AF. Laser therapy in pressure ulcers: evaluation by the pressure ulcer scale for healing and nursing outcomes classification. Rev Esc Enferm USP. 2015; 49(5): 826-33. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420150000500017

Siqueira FCHN, Reinert TC, Correa KP, Kotz JC, Bertolini GRF. Uso do laser de baixa intensidade, AsALGa, 830 nm, em pacientes portadores de úlceras de pressão. Reabilitar. 2004; 6(23): 10-15.

Kitchen S. Eletroterapia: Prática baseada em evidências. 11ª ed. São Paulo (SP): Manole; 2003.

Carvalho P, Mazzer N, Siqueira JF, Ferreira VJ, Silva IS. Análise de fibras de colágeno através da morfometria computadorizada em feridas cutâneas de ratos submetidos a irradiação do laser HeNe. Fisioter Bras. 2003; 4(4): 253-8.

Andrade FSSD, Clarck RMO, Ferreira ML. Efeitos da laserterapia de baixa potência na cicatrização de feridas cutâneas. Rev Col Bras Cir. 2014; 41(2): 129-33. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912014000200010

Araújo AR, Chaves MEA, Tizon AFF, Silva DB, Piantino LL, Assis GM, Moser ADL. Tratamento de úlceras de decúbito com laser de baixa intensidade. Fisioter Bras. 2009; 10(2): 135-43.

Taradaj J, Halski T, Kucharzewski M, Urbanek T, Halska U, Kucio C. Effect of laser irradiation at different wavelengths (940, 808, and 658 nm) on pressure ulcer healing: results from a clinical study. Evid Based Complement Alternat Med. 2013; 23: 1-8. http://dx.doi.org/10.1155/2013/960240

Chen C, Hou WH, Chan ES, Yeh ML, Lo HL. Phototherapy for treating pressure ulcers. Cochrane Database Syst Rev. 2014; 11(7): 1-42. http://dx.doi.org/10.1002/14651858.CD009224.pub2

Lucas C, van Gemert MJ, de Haan RJ. Efficacy of low-level laser therapy in the management of stage III decubitus ulcers: a prospective, observer-blinded multicentre randomised clinical trial. Lasers Med Science. 2003; 18(2): 72-7. http://dx.doi.org/10.1007/s10103-003-0259-5

Moura CEM, Silva LLM, Godoy JRP. Úlceras de pressão: prevenção e tratamento. Univ Ci Saúde. 2005; 3(2): 275-86. http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v3i2.560

Machado RS, Viana S, Sbruzzi G. Low-level laser therapy in the treatment of pressure ulcers: systematic review. Lasers Med Science. 2017; 32(4): 937-44. http://dx.doi.org/10.1007/s10203-017-2150-9

Vieira MB, Ortiz DA. Aplicação do laser ALGaInP de 660 nm em úlcera de pressão grau 3: Relato de Caso. Congrega Urcamp. 2010; 11: 2-7.

De Bortoli I, Prato AL, Kroth A. A efetividade do laser associado a diferentes tipos de curativos na cicatrização de úlceras de pressão. Evidência. 2016; 16(1): 45-58. http://dx.doi.org/10.18593/ebav16il.9774

Carvalho PTC, Marques APC, Reis FA, Belchior ACG, Silva IS, Habitante CA, et al. Photodynamic inactivation in vitro bacterial cultures from pressure ulcers. Acta Cir Bras. 2006; 21(4): 32-5. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502006001000008

Agne JE. Eu sei eletroterapia. Santa Maria (RS): Pallotti; 2009.

Publicado
2018-09-05
Cómo citar
de Oliveira Bernardes, L., & Regina Jurado, S. (2018). Efeitos da laserterapia no tratamento de lesões por pressão: uma revisão sistemática. Revista Cuidarte, 9(3), 2423-34. https://doi.org/10.15649/cuidarte.v9i3.574
Sección
Artículos de Revisión