Sentimentos de mulheres submetidas à mastectomia total

Camilla Brasil Rocha, Gislane Maria Carvalho Fontenele, Maylena Sipaúba Macêdo, Cláudia Maria Sousa de Carvalho, Márcia Astrês Fernandes, Juscélia Maria de Moura Feitosa Veras, Joyce Soares e Silva

Resumen


Introdução: A mama é uma região do corpo humano muito relevante na estética corporal feminina. Quando há presença de câncer, a mastectomia revela-se como um procedimento fundamental para o tratamento; contudo, produz impactos negativos à mulher. Objetiva-se descrever os sentimentos que emergem das mulheres com câncer de mama, submetidas à mastectomia total. Materiais e Métodos: Trata- se de um estudo descritivo, exploratório, com abordagem qualitativa realizado em um hospital de referência no tratamento do câncer, em Teresina-PI. Participaram doze mulheres com diagnóstico de câncer de mama submetidas à mastectomia total. A análise de dados ocorreu por meio de etapas: transcrição dos áudios, leitura flutuante dos diálogos, recorte textual em unidades de registro e formação de categorias. Resultados: A amostra correspondeu a 12 participantes, caracterizadas por serem mulheres que se declararam de cor parda, casada, com baixo grau de escolaridade, de religião católica e dona-de-casa. Discussão: Observou-se que emergiram sentimentos divergentes no tocante ao processo de mastectomia e prognóstico da doença. Verificou-se que a família, os amigos, os parceiros, a fé e crenças religiosas são elementos de crucial importância para que as mulheres se sintam seguras e fortalecidas no processo de restabelecimento da sua autoestima. Conclusões: Torna-se essencial o desenvolvimento de uma relação de confiança e incentivo entre a enfermagem e a mulher mastectomizadas, devendo ser criadas estratégias que tirem o foco da doença e complicações.

Como citar este artigo: Rocha CB, Fontenele GMC, Macêdo MS, Carvalho CMS, Fernandes MA, Veras JMMF, et al. Sentimentos de mulheres submetidas à mastectomia total. Rev Cuid. 2019; 10(1): e606. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v10i1.606


Palabras clave


Neoplasias de Mama; Emoções; Mastectomia; Enfermagem.

Referencias


Boing L, Araujo CCR, Pereira GS, Moratelli J, Benneti M, Borgatto AF et al. Tempo sentado, imagem corporal e qualidade de vida em mulheres após a cirurgia do câncer de mama. Rev Bras Med Esporte. 2017, 23(5): 366-70. https://doi.org/10.1590/1517-869220172305170333

Vieira EM, dos Santos MA, Santos DB, Mancini MPM, de Souza HCC, Bazan JL, Perdoná GSC. Validação do Body Image Relationship Scale para mulheres com câncer de mama. Rev Bras Ginecol Obstet. 2015; 37(10): 473-9. https://doi.org/10.1590/SO100-720320150005354

Brasil. Ministério da Saúde (BR). Instituto Nacional de Câncer. Estimativa 2018 - Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro: MS/INCA; 2018.

Rocha JFD, Cruz PKR, Vieira MA, Costa FM, Lima CA. Mastectomia: as cicatrizes na sexualidade feminina. Rev. enferm. UFPE on line. 2016, 10(5): 4255-63.

Vale CCSO, Dias IC, Miranda KM. Câncer de mama: a repercussão da mastectomia no psiquismo da mulher. Mental. 2017; 11(21): 527-45.

Marques TS, Okazaki ELF. Estudos sobre a vida da mulher após a mastectomia e o papel da enfermagem. Rev. Enferm. UNISA. 2012; 13(1): 53-8.

Ramos WRS, Sousa FS, Santos TR, Silva Jr WR de França ISX, Figueiredo GCAL. Sentimentos vivenciados por mulheres acometidas por câncer de mama. J Health Sci Inst. 2012; 30(3): 241-8.

Polit DF, Beck CT, Hungler BP. Fundamentos de pesquisa em enfermagem. 5. ed. Porto Alegre - RS: Artmed, 2004.

Nascimento KTS, Fonsêca LCT, Andrade SSC, Leite KNS, Costa TF, Oliveira SHS. Sentimentos e fontes de apoio emocional de mulheres em pré-operatório de mastectomia em um hospital-escola. Rev enferm UERJ. 2015; 23(1):108-14. https://doi.org/10.12957/reuerj.2015.15598

Almeirda TG, Comassetto I, Alves KMC, Santos AAP, Silva JMO, Trezza MCSF. Vivência da mulher jovem com câncer de mama e mastectomizada. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2015; 19(3): 432-8.

Sousa KA, Pinheiro MBGN, Fernandes MC, Costa SP, Oliveira EJC, Silva ID. Sentimentos de mulheres sobre as alterações causadas pela mastectomia. Rev. pesqui. cuid. Fundam. 2016; 8(4): 5032-8.

Pereira CM. O adoecer e sobreviver ao câncer de mama: a vivência da mulher mastectomizada. R pesq cuid. fundam. Online. 2013, 5(2): 3837-46.

Rodrigues NS, Orsini MRCA, Tertuliano Iw, Bartholomeu D, Machado AA, Montiel JM. O impacto da mastectomia na sexualidade da mulher. Lecturas: Educación Física y Deportes. 2018; 23(242).

Nery IS. Os sentimentos de mulheres mastectomizadas frente à rede de apoio. Rev Enferm UFPI. 2013; 2(4):16-20. https://doi.org/10.26694/reufpi.v2i4.938

Pinto AC. A importância da espiritualidade em pacientes com câncer. Rev Saúde. 2015, 11(2):114-22.

Santos IDL, Alvares RB, Lima NM, Mattias SR, Cestari MEW, Pinto KRTF. Câncer de mama: o apoio recebido no enfrentamento da doença. Rev enferm UFPE on line. 2017, 11(supl.8): 3222-7.

Martins MMB, Farias MDBS, Silva IS. Sentimentos pós mastectomia em mulheres atendidas em uma associação de apoio às pessoas com câncer. Rev Gest Saúde. 2016, 7(2): 596-07. https://doi.org/10.18673/gs.v7i2.22042

Ribeiro MAS, Lopes MHBM, Moura AA, Vedovato GT, Raso S. Diagnósticos de enfermagem no pós-operatório de mastectomia. Esc Anna Nery. 2013, 17(2): 354-60. https://doi.org/10.1590/S1414-81452013000200021

Faria NC, Fangel LMV, Almeida AM, Prado MAS, Carlo MMRP. Ajustamento psicossocial após mastectomia - um olhar sobre a qualidade de vida. Psicologia, saúde & doenças. 2016; 17(2): 201-13.

Silva ACS, Pereira AHCC, Dias SRS, Figueiredo MLF, Costa JP. Diagnosis and nursing interventions on elderly mastectomized women. Rev Enferm UFPI. 2018; 7(2): 58-63.


Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.