Estigma, preconceito e adesão ao tratamento: representações sociais de pessoas com tuberculose

Palabras clave: Tuberculose, Estigma Social, Assistência à Saúde

Resumen

Introdução: A tuberculose é uma doença marcada por estigmas, tabus e crenças que afetam as pessoas pela possibilidade de vivenciarem preconceitos. Este estudo objetivou analisar as representações sociais dos sujeitos acometidos pela tuberculose acerca da vivência do preconceito e estigma atrelados à doença. Materiais e Métodos: Estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa. A população foi composta por indivíduos notificados com tuberculose, residentes no município de Cajazeiras – PB, sendo a amostra constituída por setes sujeitos. Os dados foram obtidos por meio de entrevistas semiestruturadas, com dados de identificação e questões acerca da representação social da tuberculose. Os resultados foram considerados mediante a análise de conteúdo temática, à luz da Teoria das Representações Sociais. Resultados: Identificou-se a formulação das seguintes categorias temáticas: Vivendo com a tuberculose: concepções sobre a doença; O contexto familiar e social; A dor que mais dói: O afastamento; O tratamento e suas dimensões particulares; O (des)apoio dos serviços de saúde. Discussão: O estigma e a discriminação são fatores que contribuem para a baixa adesão ao tratamento da tuberculose. Conclusões: O sucesso no tratamento de doenças negligenciadas, transmissíveis e que perpassam pelo preconceito, como a tuberculose, depende em parte, de como os sujeitos acometidos são acolhidos no convívio familiar, social e pelos profissionais de saúde durante o diagnóstico e todo o tratamento.

Como citar este artigo: Braga SKM, Oliveira TS, Flavio FF, Véras GCB, Silva BN, Silva CRDV. Estigma, preconceito e adesão ao tratamento: representações sociais de pessoas com tuberculose. Rev Cuid. 2020; 11(1): e785. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.785

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Sananda Kayrone Maciel Braga

Universidade Federal de Campina Grande. Cajazeiras-PB, Brasil.

Thaiane da Silva Oliveira

Universidade Federal de Campina Grande. Cajazeiras-PB, Brasil.

Fernanda Formiga Flavio

Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Cajazeiras-PB, Brasil.

Gerlane Cristinne Bertino Véras

Universidade Federal de Campina Grande. Cajazeiras-PB, Brasil.

Bruno Neves da Silva

Universidade Federal de Campina Grande. Cajazeiras-PB, Brasil.

Cícera Renata Diniz Vieira Silva

Universidade Federal de Campina Grande. Cajazeiras-PB, Brasil.

Citas

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Assistência à Saúde, Coordenação de Saúde da Comunidade. Tuberculose. Brasília: Ministério da Saúde; 2016. [Cited 2016 Oct 25]. Avaliable from: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/741-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/tuberculose

Rodrigues ILA, Motta MCS, Ferreira MA. Representações sociais da tuberculose por enfermeiros. Rev Bras Enferm. 2016; 69(3): 498-503. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690316i

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico. Brasília: Ministério da Saúde; 2016. [Cited 2016 June 11]; 47(13) :2-15. Avaliable from: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2016/marco/24/2016-009-Tuberculose-001.pdf

Ministério da Saúde (Brasil). Sistema de Informação de Notificação de Agravo (SINAN). 2016. [Cited 2016 Jun 03]. Avaliable from: http://portalsinan.saude.gov.br/tuberculose

Ministério da Saúde (Brasil). Portal Saúde [homepage na Internet]. Brasília (DF); 2019 [Acesso em 2017 Nov 12]. Disponível em: http://saude.gov.br/saude-de-a-z/tuberculose#epidemiologia

Fernandes WGL, Goetz ER. Representações sociais da tuberculose: dos portadores e dos profissionais da vigilância epidemiológica. Revista Gepesvida. 2016; 2(2):122-35.

Porto A. Representações sociais da tuberculose: estigma e preconceito. Rev Saúde Pública. 2007; 41(Supl. 1): 43-9. https://doi.org/10.1590/S0034-89102007000800007

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11. ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco; 2009.

Gama KNG, Palmeira IP, Rodrigues ILA, Ferreira AMR, Ozela CS. O impacto do diagnóstico da tuberculose mediante suas representações sociais. Rev. Bras. Enferm. 2019; 72(5): 1189- 96. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0881

Souza SS, Silva DMGV, Meirelles BHS. Representações sociais sobre a tuberculose. Acta paul. enferm. 2010; 23(1):23-8. https://doi.org/10.1590/S0103-21002010000100004

Glaser BG, Strauss AL. The Discovery of Grounded Theory: strategies for qualitative research. New York: Aldine de Gruyter; 2006.

Bardin, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Souza E, Barbosa E, Rodrigues I, Nogueira L. Prevenção e controle da tuberculose: revisão integrativa da literatura. Rev Cuid. 2015; 6(2): 1094-102. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v6i2.178

Rodrigues ILA, Motta MCS, Ferreira MA. Representações sociais da tuberculose por enfermeiros. Rev. Bras. Enferm. 2016; 69(3):532-7. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2016690316i

Souza KMJ, Sá LD, Assolini FEP, Queiroga RPF, Surniche CA, Palha PF. Discursos sobre a tuberculose: estigmas e consequências para o sujeito adoecido. Rev enferm UERJ. 2015; 23(4):475-80. https://doi.org/10.12957/reuerj.2015.16106

Freitas IM, Popolin MP, Touso MM, Yamamura M, Rodrigues LBB, Santos Neto M, et al. Fatores associados ao conhecimento sobre tuberculose e atitudes das famílias de pacientes com a doença em Ribeirão Preto. Rev Bras Epidemiol. 2015; 18(2): 326-340. http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201500020004

Queiroz AAR, Azevêdo DND, Lopes RH, Menezes RMP, Enders BC. Conhecimento das famílias de pacientes com tuberculose sobre a doença: estudo transversal. Rev.

Cogitare enferm. 2016; 21(1): 01-9. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v21i1.42136

Souza E, Barbosa E, Rodrigues I, Nogueira L. Prevenção e controle da tuberculose: revisão integrativa da literatura. Rev Cuid. 2015; 6(2): 1094-102. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v6i2.178

Chirinos NEC, Meirelles BHS, Bousfield ABS. Representações sociais das pessoas com tuberculose sobre o abandono do tratamento. Rev Gaucha Enferm. 2015; 36(esp): 207-14. http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.56723

Koyanagi A, Vancampfort D, Carvalho AF, DeVylder JE, Haro JM, Pizzol D. et al. Depression comorbid with tuberculosis and its impact on health status: cross-sectional analysis of community-based data from 48 low- and middle-income countries. BMC Med. 2017; 15(209):1-10. http://dx.doi.org/10.1186/s12916-017-0975-5

Furlan MCR, Gonzales RIC, Marcon SS. Desempenho dos serviços de controle da tuberculose em municípios do Paraná: enfoque na família. Rev Gaucha Enferm. 2015; 36 (esp):102-10. http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.55869

Silva ANM, Sousa MNA, Lima AB, Silva MCL, Camboim JCA, Camboim FEF. Vivências de portadores de tuberculose e importância da família à adesão terapêutica. Interfaces Científicas - Saúde e Ambiente. 2017; 6(1): 83-94. https://doi.org/10.17564/2316-3798.2017v6n1p83-94

Alcantara LM, Alves RS, Oliveira RCC, Andrade SLE, Costa LS, Sá LD. Ações para controle da tuberculose no sistema penitenciário masculino. Rev enferm UFPE on line. 2014; 8(11): 3832-32.

Touso MM, Popolin MP, Crispim JA, Freitas IM, Rodrigues LBB, Yamamura M. Estigma social e as famílias de doentes com tuberculose: um estudo a partir das análises de agrupamento e de correspondência múltipla. Cien Saude Colet. 2014; 19(11): 4577-85. http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320141911.46062013

Ahmed Suleiman MM, Sahal N, Sodemann M, El Sony A, Aro AR. Tuberculosis stigma in Gezira State, Sudan: a case-control study. Int J Tuberc Lung Dis. 2013; 17(1):388-93. https://doi.org/10.5588/ijtld.12.0654

Andrade ET, Hennington EA, Siqueira HR, Rolla VC, Mannarino C. Perspectives of Patients, Doctors and Medical Students at a Public University Hospital in Rio de Janeiro Regarding Tuberculosis and Therapeutic Adherence. PLoS One. 2015; 10(9):1-17. http://dx.doi.org/10.1371/journal.pone.0137572

Oliveira GM, Petroni TF. Avaliação de indicadores epidemiológicos da tuberculose no Brasil. Revista Saúde UniToledo. 2017; 1(1): 134-46.

Orlandi GM, Pereira EG, Biagolini REM, França FOS, Bertolozzi MR. Incentivos sociais na adesão ao tratamento da tuberculose. Rev. Bras. Enferm. 2019; 72(5): 1182-88. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0654

Chirinos NEC, Meirelles BHS, Bousfield ABS. A relação das representações sociais dos profissionais da saúde e das pessoas com tuberculose com o abandono do tratamento. Texto contexto - enferm. 2017; 26(1): e5650015.

Souza KMJS, Sá LD, Silva LMC, Palha PF. Atuação da Enfermagem na transferência da política do tratamento diretamente observado da tuberculose. Rev Esc Enferm USP. 2014; 48(5):874-82. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420140000500014

Publicado
2020-02-15
Cómo citar
1.
Maciel Braga SK, Silva Oliveira T da, Formiga Flavio F, Bertino Véras GC, Neves da Silva B, Vieira Silva CRD. Estigma, preconceito e adesão ao tratamento: representações sociais de pessoas com tuberculose. Rev Cuid [Internet]. 15 de febrero de 2020 [citado 2 de abril de 2020];11(1). Disponible en: https://revistacuidarte.udes.edu.co/index.php/cuidarte/article/view/785
Sección
Artículos de Investigación