Simulação no ensino de emergência para estudantes de enfermagem

Palabras clave: Treinamento por Simulação, Reanimação Cardiopulmonar, Estudantes de Enfermagem, Educação em Enfermagem, Enfermagen

Resumen

Introdução: O treinamento dos estudantes de enfermagem sobre as manobras de Reanimação cardiopulmonar (RCP) é fundamental para uma atuação com qualidade e segurança em diferentes cenários de atuação do enfermeiro. A inserção em cenários de prática clínica, desde os primeiros anos do curso, proporciona maior segurança para atuar em situações de emergência. Objetivou-se avaliar o conhecimento de estudantes de graduação em enfermagem recém-ingressos antes e após a realização de um treinamento sobre suporte básico de vida (SBV) utilizando simulação. Material e Métodos: Trata-se de um estudo quase-experimental realizado numa instituição de ensino superior pública no sudeste do Brasil, em 2015. Os estudantes responderam a um pré-teste e, logo após a intervenção, responderam ao pós-teste. Para análise, utilizou-se os testes de Mcnemar e Wilcoxon pareado. Resultados: Identificou-se que imediatamente após a realização do curso os estudantes apresentaram conhecimento satisfatório (≥ 80%) em vários conteúdos. Entretanto, as questões do teste sobre os elos da cadeia de sobrevivência (-18,7%; p=0,004) e sobre a sequência da manobra de abertura de vias aéreas (-16,0%; p= 0,091) apresentaram redução do número de acertos após a intervenção. Discussão: O uso de estratégias combinadas, dentre elas a simulação de média fidelidade para o ensino de SBV, tem facilitado a apreensão dos conteúdos de SBV. Conclusãos: Conclui-se que o uso da simulação evidenciou evolução positiva do conhecimento nos conteúdos sobre a profundidade da compressão torácica, sequência da RCP e a relação compressão-ventilação por minuto na RCP.

Como citar este artigo: Costa, Christefany Régia Braz; Melo, Elizabete Santos; Reis, Renata Karina. Simulação no ensino de emergência para estudantes de enfermagem. Revista Cuidarte. 2020; 11(2): e853. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.853

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

American Heart Association. Destaques da American Heart Association 2015. Atualização das diretrizes de RCP e ACE. Versão em português. AHA: 2015.

Gräsner JT, Lefering R, Koster WR, Masterson S, Böttiger BW, Herlitz J, et al. EuReCa ONE - 27 Nations, ONE Europe, ONE Registry: a prospective one month analysis of out-of-hospital cardiac arrest outcomes in 27 countries in Europe. Resuscitation. 2016; 105:188-95. https://doi.org/10.1016/j.resuscitation.2016.06.004

Gonzalez MM, Timerman S, Oliveira RG, Polastri TF, Dallan LAP, Araújo S, et al. I Guideline for Cardiopulmonary Resuscitation and Emergency Cardiovascular Care – Brazilian Society of Cardiology: Executive Summary. Arq Bras Cardiol. 2013;100(2):105-13. https://doi.org/10.5935/abc.20130022

Reime MH, Johnsgaard T, Kvam FI, Aarflot M, Engeberg JM, Breivik M, et al. Learning by viewing versus learning by doing: A comparative study of observer and participant experiences during an interprofessional simulation training. J Interprof Care. 2017; 31(1):51-8. https://doi.org/10.1080/13561820.2016.1233390

Kim J, Park J-H, Shin S. Effectiveness of simulation-based nursing education depending on fidelity: a meta-analysis. BMC Medical Education. 2016;16:152. https://doi.org/10.1186/s12909-016-0672-7

Silva AB, Machado RC. Elaboração de guia teórico de atendimento em parada cardiorrespiratória para enfermeiros. Rev Rene. 2013; 14(4):1014-21.

Roh YS, Issenberg SB, Chung HS, Kim SS, Lim TH. A survey of nurses' perceived competence and educational needs in performing resuscitation. J Contin Educ Nurs. 2013; 44(5):230-6. https://doi.org/10.3928/00220124-20130301-83

Silva DV, Jesus APS, Lima AA, Santos MAS, Alves SL. Conhecimento de graduandos em enfermagem sobre suporte básico de vida. Rev baiana enferm. 2015; 29(2):125-34. https://doi.org/10.18471/rbe.v29i2.12648

Avisar L, Shiyovich A, Aharonson-Daniel L, Nesher L. Cardiopulmonary resuscitation skills retention and self-confidence of preclinical medical students. Isr Med Assoc J. 2013; 15(10):622-7.

Mardegan KJ, Schofield MJ, Murphy GC. Comparison of an interactive CD-based and traditional instructor-led Basic Life Support skills training for nurses. Aust Crit Care. 2015; 28(3):160-67. https://doi.org/10.1016/j.aucc.2014.06.001

Polit DF, Beck CT. Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem: Avaliação de Evidências para a Prática da Enfermagem.9. ed. Porto Alegre (RS): Artmed; 2018.

Neumar RW, Otto CW, Link MS, Kronick SL, Shuster M, Clisfton W, et al. Adult Advanced Cardiovascular Life Support. 2010 American Heart Association guidelines for cardiopulmonary resuscitation and emergency cardiovascular care. Circulation. 2010; 122(18Suppl3):S729-67. https://doi.org/10.1161/CIRCULATIONAHA.110.970988

Maia RE, Junior JG, Lima PE, Campos W, Jovino ME, Fernandes FF, et al. Conhecimentos em atenção pré-hospitalar e suporte básico de vida por estudantes recém-ingressos de medicina. Rev bras educ med. 2014; 38(1):59-64. https://doi.org/10.1590/S0100-55022014000100008

Fernandes JMG, Leite ALS, Auto BSD, Lima JEG, Rivera IR, Mendonça MA. Teaching Basic Life Support to Students of Public and Private High Schools. Arq Bras Cardiol. 2014; 102(6): 593-601. https://doi.org/10.5935/abc.20140071

Gallagher P, Traynor M. Does an Immediate Life Support (ILS) course enhance clinical practice? The students’ perceptions. Nurse Educ Today. 2012; 32(5):594-9. https://doi.org/10.1016/j.nedt.2011.07.007

Nishiyama C, Iwami T, Kitamura T, Ando M, Sakamoto T, Marukawa S, et al. Long-term Retention of Cardiopulmonary Resuscitation Skills After Shortened Chest Compression-only Training and Conventional Training: A Randomized Controlled Trial. Acad Emerg Med. 2014; 21(1):47-54. https://doi.org/10.1111/acem.12293

Attin M, Winslow K, Smith T. Animation shows promise in initiating timely cardiopulmonary resuscitation: results of a pilot study. Comput Inform Nurs. 2014; 32(4):166-71. https://doi.org/10.1097/CIN.0000000000000038

Kelly MA, Berragan E, Husebo SE, Orr F. Simulation in Nursing Education-International Perspectives and Contemporary Scope of Practice. J Nurs Scholarsh. 2016; 48(3):312-21. https://doi.org/10.1111/jnu.12208

Günay İE, Zaybak A. Comparison of the Effectiveness of a Virtual Simulator With a Plastic Arm Model in Teaching Intravenous Catheter Insertion Skills. Comput Inform Nur. 2018; 36(2):98-105. https://doi.org/10.1097/CIN.0000000000000405

Silva JN, Montezeli JH, Gastaldi AB. Suporte básico à Vida em Adultos: Conhecimento dos enfermeiros sobre as Diretrizes 2010-2015. Rev enferm UFPE on line. 2013; 7(5):1256-63. DOI: 10.5205/reuol.3960-31424-1-SM.0705201301

Publicado
2020-05-01
Cómo citar
1.
Reis RK, Melo ES, Costa CRB. Simulação no ensino de emergência para estudantes de enfermagem. Rev Cuid [Internet]. 1 de mayo de 2020 [citado 30 de mayo de 2020];11(2). Disponible en: https://revistacuidarte.udes.edu.co/index.php/cuidarte/article/view/853
Sección
Artículos de Investigación